Resenha: Cidades de Papel

Heey apple
Bia aqui
Cara... como eu amo fazer resenhas, amo demais.
Terminei hoje um livro que me apaixonei demais, chamado "Cidades de Papel", escrito pelo fascinante autor John Green.
Como falei (acho que falei sim) que John Green tem história inusitadas, com finais inusitados, e isso não se resumiu apenas nos primeiros livros que eu li, se expandiu pra esse também. Esperava um final perfeito pra esse livro, mas nãaao, João Verde destruiu minhas expectativas de leitora, transformando a história.
Espero que gostem!
Quem já leu esse livro sabe como é bom!
Quem nunca leu, não sabe o que está perdendo. Esse livro me prendeu, me fascinou e me deixou sem chão, fiquei maluca tentando decifrar seu final enquanto estava longe do livro, esquecia o tempo quando estava com ele em mãos e, pra mim, esse é o melhor tipo de livro.
Pra quem não conhece, nunca ouviu falar da história, a seguir deixo sua sinopse:
"Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia."
Agora tá explicado o porque de eu gostar tanto desse livro?
A história é muito bizarra, assim como a do Teorema Katherine, e eu creio que foi isso que me prendeu tanto a ele!
~ Pode haver spoilers a partir daqui ~



Comecei a curtir a partir da parte em que Margo invade o quarto dele, e começa a aprontar durante a madrugada. Foto do pênis pequeno, peixe no carro, pichações, ligação pra dedurar,... esse humor me deixou muito presa. Após o seu sumiço fiquei ainda mais grudada no livro, indo junto com as buscas do Q e de seus fiéis e estranhos amigos. Aquele final me deixou meio que "é sério isso?", nada pode acabar daquele jeito, precisa de mais duas páginas contando seu pós!
Seu amor encubado por Margo, seus amigos doidos mas fiéis, tudo isso contribuiu para uma maravilhosa história!
~ Chances de spoilers reduzidas ~
Separei alguns trechos que eu adorei, as citações que mais me chamaram a atenção.


" - Você não está preocupada com o ... para sempre?
 -  O para sempre é composto de agoras"


"- É como rachaduras dentro de você. Como se houvesse falhas que fazem que as partes não se encontrem direito"

"- Porque é o máximo se uma ideia que agrada a todos. Mas eu nunca poderia ser aquela ideia para mim, não totalmente"

"Eu estou apaixonado por cidades que eu nunca estive e pessoas que eu nunca conheci."
"Talvez ela merecesse ser esquecida. Porém, de qualquer modo, eu não podia esquecê-la."
"É muito difícil para nós mostrarmos aos outros o que sentimos."
"Ela talvez gostasse tanto de mistérios que acabou por se tornar um."
"É muito difícil ir embora – até você ir embora de fato. E então, ir embora se torna simplesmente a coisa mais fácil do mundo."
"Basta lembrar que, às vezes, a forma como você pensa sobre uma pessoa não é a maneira como eles realmente são."


Bem, era isso, espero que tenham curtido.
Quem tiver alguma ideia sobre algum livro pra eu ler e fazer resenha, deixa aqui em baixo!
Quem já leu? Quem quer ler? Diz aê, amaria saber.
2Bjos
Bia

1 comentários:

Postar um comentário